QUEM SOMOS

 

 

Nascemos de forma espontânea e livre.
O primeiro curso ministrado pela nossa fundadora foi em 2008: “Identificação e Ecologia de Cetáceos”. Antes de ser quem somos, a Bióloga Mônica Pontalti trilhou longa jornada em defesa do meio ambiente e sobretudo na conservação da Baleia Franca (Eubalaena australis). Em 2018,
decidida a formalizar uma plataforma de cursos, palestras e ações de sustentabilidade, Mônica convidou sua amiga e parceira da causa, a Engª Ambiental Angelina Coelho para que, juntas idealizassem o Mar de Ideias.
Entusiastas do ensino de qualidade e da sensibilização ambiental acessível para todos,

elas tomaram essa ideia possível, e hoje atuam educando de forma descontraída, descomplicada e
eficiente.
Aos poucos agregaram à plataforma pesquisadores e profissionais de destaque em suas áreas de atuação.
Estes foram rigorosamente escolhidos, não somente por seus currículos, mas pelo caráter e postura frente às
problemáticas ambientais.
Juntos formamos uma família de especialistas amantes da natureza, determinados a ensinar com Descontração e pragmatismo.

 


                     SEJAM BEM VINDOS!

FUNDADORA

 

Mônica Pontalti 

Graduação em Ciências Biológicas pela UCS, Mestre e Doutoranda em Ciência e Tecnologia Ambiental pela UNIVALI. Formada no curso de Condutor Ambiental pelo IFSC, atuando como guia em trilhas interpretativas e para observação de baleias. Atua como pesquisadora de tetrápodes marinhos, com destaque para estudos comportamentais de cetáceos a partir de embarcações e ponto fixo. Realizou pesquisas com cetáceos no Brasil e Nova Zelândia incluindo: photo-ID, database, dinâmica de populações, coleta de material biológico e comportamento animal. Possui experiência em resgate e reabilitação de tetrápodes marinhos em estado crítico, principalmente espécies como pinguins, tartarugas, aves, cetáceos, lobos e leões marinhos.

Foi Coordenadora do Instituto Baleia Franca onde desenvolveu diversas pesquisas científicas com as baleias francas e outros animais marinhos, sendo responsável pela seleção, supervisão e treinamento de estagiários. Foi membro do Conselho Gestor da APA da Baleia Franca, representando a ONG nas reuniões e foi responsável pelos embarques turísticos para observação de vida selvagem no Brasil e na Nova Zelândia. Desenvolveu e coordenou Projetos Sociais em comunidades pesqueiras artesanais em SC e atuou como Educadora Ambiental em escolas.

Possui prática em pilotagem de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT) onde realizou uma pesquisa inédita sobre o monitoramento de encalhes de tetrápodes marinhos com o uso de  drones no litoral centro-sul de SC. Atualmente está envolvida em pesquisa que avalia a eficiência de Projetos de Monitoramento Ambiental para a Gestão e Conservação de cetáceos, correlacionando diferentes metodologias na coleta de dados. Faz parte de equipes de Consultoria Ambiental sendo responsável pela Elaboração Laudos de Fauna para Licenciamento Ambiental. Participou como Bolsista do Projeto GEFMar - ICMBio atuando na pesquisa e gerenciamento do Turismo de Observação de Baleias Francas na APA BF em Imbituba/ SC. 

Também atua no ramo off-shore como e Observador de Biota Aquática (MMO) e é fundadora do MAR DE IDEIAS, onde ministra cursos e palestras para todos os públicos. No geral, trabalha com Gestão e Conservação Marinha.

SÓCIA-COLABORADORA

 

Angelina Coelho

Engenheira Ambiental pela UNIVALI, Mestre em Ciência e Tecnologia Ambiental. Atuou na identificação e análise de padrões estruturais e funcionais da paisagem da zona costeira de Itajaí, SC, sob o enfoque da Ecologia da Paisagem aplicada ao planejamento da conservação da natureza. Desenvolve atividades de pesquisa na área de Gestão e Conservação Costeira, Indicadores de Sustentabilidade para o Planejamento Estratégico de cidades (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS/ONU), e Sistemas de Informação Geográfica Participativos (PPGIS).

COLABORADORES

Carolina Iozzi Relvas

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Paulista/UNIP e Mestre em Sistemas Aquáticos Tropicais pela Universidade Estadual de Santa Cruz/UESC. Trabalhou com sobreposição espacial e temporal de sítios de nidificação de tartarugas marinhas e auxiliou em saídas embarcadas para observação de baleias jubarte, ambos em Itacaré/BA. Participou de atividades no Aquário de Ubatuba e Projeto TAMAR onde pode atuar como educadora ambiental e na reabilitação de animais marinhos. Atualmente está envolvida em projetos de conservação costeira e marinha no litoral Sul da Bahia e atua como Observador de Bordo (MMO) em navios de pesquisa sísmica.

Aline dos Santos Klôh

Graduação em Ciências Biológicas pela UENF, Pós-graduação em QSMS na indústria do Petróleo pela FUNCEFET e é Mestre em Ecologia e Conservação pela UFPR. Atua em Projetos de Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT) a bordo de sondas de perfuração offshore, navios sísmicos e dragas. Além disso, trabalhou com Projetos de Comunicação Social (PCS), Projetos de Controle de Poluição (PCP) e Projetos de Monitoramento de Aves Marinhas (PMAVE). Foi Coordenadora de Projetos Socioambientais e participou de Projetos de monitoramento de bioinvasão de organismos bentônicos em áreas portuárias e naturais. Além disso, atuou em estudo de Ecologia Pesqueira no norte fluminense. Aline também realiza trabalhos voluntários para ONGs elaborando projetos com o objetivo de concorrer a editais de financiamento e patrocínio.

Ticiana Fettermann

Graduação em Ciências Biológicas pela PUCRS, Pós-Gradução em Ciências Marinhas pela Universidade de Auckland (UOA) e Mestre em Ciências pela Auckland University of Technology (AUT) na Nova Zelândia. Sua pesquisa examinou o uso de VANTs (drones) como ferramenta de estudo nas interações de comportamento e com o ecossistema de uma espécie nacionalmente ameaçada (Tursiops truncatus) na ilha de Great Barrier - NZ. Além disso, comparou o uso de drones com observações tradicionais baseadas em barcos em termos de eficácia, segurança e impacto no comportamento dos golfinhos. Participou de expedição nas Ilhas Cook em parceria com outros pesquisadores para testar o uso de drones com termografia infravermelha na quantificação de sinais vitais de cetáceos e avaliar a condição biomédica das Baleias Jubartes.

Já fez parte de equipes de campo em Projetos como Tamar e Golfinho Rotador no Brasil. Atuou como pesquisadora em Projetos pelo “Coastal Marine Research Group” - Massey University e no “Unmanned Aerial Vehicle (UAV) Group” - Auckland University of Technology na Nova Zelândia. Em 2019 morou nas Ilhas Cook onde se dedicou em Projetos de Ecologia e Conservação de populações de Mamíferos Marinhos (Center for Cetacean Research & Conservation); se envolveu como embaixadora da "Sociedade de Conservação de Tartarugas Marinhas das Ilhas Cook", apoiando a comunidade de Rarotonga a conscientizar sobre a futura proteção das tartarugas marinhas em suas águas e participou de atividades de snorkel proporcionando educação marinha. Ajudou também na implementação de diretrizes para práticas de visualização segura em atividades de interações com tartarugas marinhas.

Atualmente mora na Australia, em uma das barreiras de corais mais saudáveis do mundo, “Ningaloo Reef” (Costa de Ningaloo), onde está se envolvendo com diversas áreas de pesquisa.

Rayd Ivanoff

Graduação em Oceanografia, Mestrado em Recursos Pesqueiros e Doutorado em Oceanografia Biológica pela FURG. Trabalhou com tubarões e raias desenvolvendo projetos de morfometria, identificação, idade, crescimento, biologia reprodutiva, monitoramento de pesca artesanal e desembarques de frota industrial. Atualmente atua sobre modelos Bayesianos para estimar e predizer áreas de distribuição de espécies com objetivo de identificar habitats essenciais para conservação de elasmobrânquios. Em sua pesquisa utiliza o programa estatístico R, um software que pode ser utilizado tanto para análises descritivas de dados como para métodos robustos como GLMs e GAMs.

Gabriele Ely 

Graduação em Oceanografia na UNIVALI. Estudou sirênios no Centro de Resgate Amazónico (CREA) no Peru. Lá desenvolveu parte da pesquisa “Avaliação do Uso de Foto-Identificação em Peixes-Boi da Amazônia Trichechus inunguis” que foi premiada no VIII Encontro Nacional sobre Conservação e Pesquisa de Mamíferos Aquáticos. Também exerceu atividades de resgate, reabilitação, introdução de transmissor subcutâneo para telemetria nos animais. Durante sua graduação realizou trabalhos voluntários no TAMAR exercendo atividades de educação ambiental, resgate e reabilitação de tartarugas marinhas. Fez monitoria no Laboratório de Aves Marinhas na UNIVALI, fazendo reabilitação, biometria, estabilização, dentre outros procedimentos. Atualmente trabalha a bordo de navios sísmicos com Monitoramento Acústico Passivo (MAP).

Mariana Amoroso

Graduação em Turismo pela Universidade da República (UdelaR), foi professora de Geografia Turística na mesma universidade. Pós-Graduação em Geografia Litoral na Universidad Nacional de Mar del Plata (Argentina) e Gerenciamento Costeiro Integrado na Universidad de la Republica. É especialista em Educação Ambiental e dirigiu vários projetos educativos para difundir a conservação dos ambientes marinho-costeiros. Colaborou com o setor público assessorando o Governo Municipal e Nacional do Uruguai nas questões turísticas, focando seus estudos nos aspectos sócio-ecológicos sobre o uso turístico-recreativo e conservacionista da costa uruguaia. Ministrou diversos cursos e seminários sobre Turismo Costeiro no Centro Universitario Regional del Este (CURE, UdelaR). Aprofundou seus estudos em questões sobre o turismo costeiro e os desafios para a sustentabilidade em destinos de sol e praia e pode apresentar seus resultados em Congressos na Argentina, Ecuador, Costa Rica, Brasil e Uruguai. Hoje é pesquisadora de maneira independente.  Atualmente é empreendedora e possui uma loja sustentável (Alma Punta Del Este) e desenvolve projeto esportivo e educativo (Sirena Punta Del Este). Também é guia turística para a empresa Tours by Locals.

Taciana Ziembowicz

Graduação em Ciências Biológicas pela UCS, Especialista em Educação Ambiental pela UFPR, Mestrado em Ciência e Tecnologia ambiental pela UNIVALI e Doutora em Ecologia pela University of Göttingen, Alemanha. Trabalhou na Fundação Municipal do Meio Ambiente de Brusque na área de Educação Ambiental e atuou também com o manejo e resgate de espécies da fauna da respectiva cidade. Durante a especialização dedicou-se a compreender a percepção ambiental do povo nativo do Município de Garopaba, SC. No mestrado desenvolveu uma pesquisa voltada ao georeferenciamento e geoprocessamento das formações vegetais nos maciços costeiros do litoral centro-norte de Santa Catarina e no doutorado pesquisou nutrientes na água subterrânea e a correlação com espécies da flora do Cerrado Brasileiro.

Daniel Takarada

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Caxias do Sul. Atualmente possui um projeto de Educação Ambiental em Garopaba, SC no qual há alguns exemplares legalizados de serpentes. Possui experiência em ministrar cursos e palestras onde possibilita o manuseio dos animais pelos participantes, tornando o aprendizado significativo através de uma vivência educativa que visa a desmistificação de crenças negativas a respeito desses animais. 

Glauco Kohler

Possui graduação em ciências biológicas pela fundação universidade regional de blumenau (2007), mestrado em ecologia e conservação pela universidade federal do paraná (2011) e Doutorado em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva pelo Instituto Nacional de Pesquisas da amazônia (INPA). Atuou em diversos projetos da iniciativa privada de monitoramento e levantamento de avifauna para compor o licenciamento e condicionantes ambientais em todos os Biomas brasileiros. Trabalha atualmente essencialmente com o desenvolvimento e execução de projetos e estudos de fauna. É anilhador sênior junto ao Cemave (CTF 546432).

Fernando Andreacci

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade da região de Joinville (2010), Mestrado em Botânica pela Universidade  Federal do Paraná (2012) e Doutorado em Ciência e Tecnologia Ambiental pela Universidade do Vale do Itajaí (2020). Atua nas áreas de ciência aplicada a levantamentos florestais e avaliação de impactos ambientais, utilizando ferramentas de organização e análise estatística de dados (R e Excel), sistemas de informações geográficas (QGIS, ArcGIS), além da análise e interpretação da legislação ambiental, sobretudo aquela relacionada à gestão de florestas.

Bianca Rangel 

Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Nove de Julho (2015). Mestre em Fisiologia Geral (2018) pelo Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP). Atualmente é doutoranda em Fisiologia Geral pela mesma instituição (IB-USP), atuando na linha de pesquisa de Fisiologia Ecológica e Evolutiva no Laboratório de Metabolismo e Reprodução de Organismos Aquáticos em parceria com o programa Shark Research and Conservation da Universidade de Miami.

Desenvolve projetos sobre a ecofisiologia de tubarões e raias, com ênfase no metabolismo energético, endocrinologia e isópotos estáveis. No mestrado investigou como o investimento materno de raias vivíparas (Rhinoptera bonasus e Rhinoptera brasiliensis) afeta a condição nutricional neonatal, utilizando métodos não-letais. Em sua atual pesquisa, utiliza ferramentas da fisiologia da conservação para investigar os efeitos das variações no estágio de vida, espaciais e temporais na condição nutricional e interações tróficas de tubarões do sul da Flórida, Bahamas e Arquipélago de Fernando de Noronha.

Coordenadora do projeto Ecofisiologia de tubarões de Fernando de Noronha (@ecofisio.tubaroes.noronha), que visa a médio prazo entender qual o impacto do turismo na saúde dos tubarões. Está vinculada ao Projeto Temático (FAPESP) "Impactos das Mudanças Climáticas e Ambientais sobre a fauna: uma abordagem integrativa". Sócia da Sociedade Brasileira para o Estudo de Elasmobrânquios (SBEEL) desde 2014 e atual Presidente da Comissão de Comunicação, para a gestão 2018-2020.

Mariana Burato 

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Possui experiência com animais marinhos, principalmente na área de monitoramento, resgate e manejo desses animais sob risco de impacto em projetos de condicionantes ambientais com petróleo, e além disso vasta experiência em Educação Ambiental, atuando em escolas da rede pública, da rede privada e em eventos com público alvo de várias idades. Atualmente atua como observador de bordo (MMO) em navios de sísmica e como Educadora Ambiental com ênfase na problemática causada nos animais marinhos pelos resíduos sólidos descartados de maneira incorreta. Foi voluntária no projeto TAMAR (Ubatuba/SP e Costa do Sauípe/BA), onde atuou como bióloga responsável no projeto de microchipagem de tartarugas marinhas na Reserva Biológica do Atol das Rocas/RN. Escolheu atuar nessa área com o intuito de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da sociedade através do equilíbrio ambiental alcançado pela preservação e conservação do meio ambiente como um todo.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now